HORA E DATA !

quarta-feira, 29 de agosto de 2012


Dilma sanciona lei que cria cota de 50% nas universidades federais.

A presidenta determinou que a seleção dos estudantes seja pelo Enem. Cotas são para alunos oriundos de escolas públicas. 


A presidenta Dilma Rousseff sancionou nesta quarta-feira (29), com apenas um veto, a lei que destina 50% das vagas em universidades federais para estudantes oriundos de escolas públicas.
De acordo com a lei, metade das vagas oferecidas serão de ampla concorrência, já a outra metade será reservada por critério de cor, rede de ensino e renda familiar. As universidades terão quatro anos para se adaptarem à lei. Atualmente, não existe cota social em 27 das 59 universidades federais. Além disso, apenas 25 delas possuem reserva de vagas ou sistema de bonificação para estudantes negros, pardos e indígenas.
A cota racial será diferente em cada universidade ou instituto da rede federal. Estudantes negros, pardos e índios terão o número de vagas reservadas definido de acordo com a proporção dessas populações apontada no censo do IBGE de 2010 na unidade da federação em que está a instituição de ensino superior.
As demais vagas reservadas serão distribuídas entre os alunos que cursaram o ensino médio em escola pública, sendo que no mínimo metade da cota (ou 25% do total de vagas) deverá ser destinada a estudantes que, além de ter estudado em escola pública, sejam oriundos de famílias com renda igual ou inferior a um salário mínimo e meio per capita.
A proposta exige que as instituições ofereçam pelo menos 25% da reserva de vagas prevista na lei a cada ano.
Segundo informou a ministra da Igualdade Racial, Luiza Bairros, Dilma fez apenas uma alteração no texto aprovado pelo Senado no último dia 7 e determinou que a seleção dos estudantes dentro do sistema de cotas seja feita com base no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
Dilma vetou o artigo 2º do texto, que previa que a seleção dos estudantes pelo sistema de cotas será feita com base no Coeficiente de Rendimento (CR), obtido a partir da média aritmética das notas do aluno no ensino médio.
“Foi um veto que resultou de uma opinião unânime do governo federal na medida que o MEC (Ministério da Educação) tem trabalhado para constituir o Enem como a forma universal de acesso a universidades federais”, afirmou Luiza Bairros.
Esta terça-feira era o último dia do prazo para sanção. A lei deverá ser publicada no “Diário Oficial da União” desta quarta-feira (29), data a partir da qual começa a contar o prazo de quatro anos para as universidades se adaptarem à lei.

Americano fisga tubarão martelo enorme e ganha prêmio de R$ 10,5 mil

Pescador estabeleceu um novo recorde no estado de Maryland. Scott Cusick levou 45 minutos para vencer a batalha contra o peixe.


Scott Cusick estabeleceu um novo recorde ao fisgar um tubarão martelo de 120,8 quilos. (Foto: Divulgação/Maryland Department of Natural Resources)O americano Scott Cusick estabeleceu um novo recorde no estado de Maryland (EUA) após fisgar um tubarão martelo de 120,8 quilos durante um campeonato de pesca. Cusick ganhou um prêmio de US$ 5.150 (R$ 10,5 mil) por ter capturado o tubarão.

O pescador de Jackson, no estado de Nova Jérsei, levou 45 minutos para conseguir vencer a batalha contra o peixe.
Segundo o departamento de Recursos Naturais de Maryland, Cusick superou por 5,67 quilos o antigo recorde.



domingo, 26 de agosto de 2012


Elano marca, Grêmio surpreende e vence Inter no Beira-Rio

Vitória deixa time de Vanderlei Luxemburgo próximo dos líderes do campeonatoElano marcou o único gol do confronto

Apesar do gol, Elano deixou o duelo ainda no primeiro tempo

Elano jogou apenas 15 minutos no Gre-Nal deste domingo, mas foi o suficiente. Com um gol do meia, aos sete minutos do primeiro tempo, o Grêmio venceu o Inter por 1 a 0, neste domingo, no estádio Beira-Rio. O atleta deixou a partida lesionado ainda no primeiro tempo e, no próprio momento do gol, já sentia dores na coxa. A vitória no clássico faz o time comandado por Vanderlei Luxemburgo subir uma posição na tabela: agora é 3º colocado, com 37 pontos, ultrapassando o Vasco, que tem 35. O Inter caiu para 6ª colocação, com 31.
Tabela: confira a classificação com os resultados da 19ª rodada

Apesar da chuva, o gramado do Beira-Rio apresentou boas condições para a prática do futebol. Em uma falha do goleiro Muriel, que saiu mal do gol, Elano fez 1 a 0 para o Grêmio. O Inter pressionou bastante no primeiro tempo, mas foi para o intervalo em desvantagem. O panorama não mudou na etapa final. Mas, com organização, o Grêmio soube suportar a pressão e ganhar o clássico.

Na próxima rodada, o Grêmio recebe o Vasco, outro concorrente direto de tabela. O jogo ocorre quarta-feira, no Olímpico, às 22h (horário de Brasília). Já o Inter, que completou três jogos sem vitória, visita o Coritiba, no Couto Pereira, também na quarta, mas às 19h30.
(Com Gazeta Press)

Em entrevista a jornal, Lula diz que não crê na existência do mensalão

'The New York Times' publicou reportagem sobre ex-presidente brasileiro.
De acordo com jornal, julgamento do escândalo é momento difícil para o PT.


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, em entrevista publicada neste domingo (26) pelo jornal norte-americano “The New York Times”, que não acredita na existência do mensalão.

“Eu não acredito que o mensalão existiu”, disse Lula ao jornal. O ex-presidente, ainda de acordo com a reportagem, alega que o governo petista não tinha necessidade de comprar votos porque já havia garantido apoio da maioria do Congresso por meio de alianças políticas.
Ex-presidente Lula durante entrevista ao jornal 'The New York Times' (Foto: (Lalo de Almeida/The New York Times))
Lula, informa o jornal norte-americano, disse que irá respeitar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que começou neste mês o julgamento do mensalão. Segundo o texto, o ex-presidente defende a punição àqueles considerados culpados no processo, mas também o reconhecimento da inocência dos que forem inocentados pela corte.

O NYT descreve o julgamento do mensalão, pelo STF, como um dos mais sérios e difíceis momentos da história de Lula e do PT. Afirma que o escândalo surgiu em 2005 e que a sua análise pelo tribunal apenas em 2012 reflete a “lentidão” da Justiça brasileira.
A reportagem cita denúncia do ministro Gilmar Mendes, do STF, que afirmou ter sido pressionado por Lula a adiar o julgamento do mensalão, durante um encontro em São Paulo.
O texto relata ainda que o ex-presidente “ressurge” na política brasileira e faz campanha para candidatos a prefeito nas maiores cidades brasileiras, depois de enfrentar um tratamento contra câncer de laringe.

2014
O NYT também diz que Lula rejeitou especulações de que a presidente Dilma Rousseff possa desistir de disputar a reeleição em 2014 para dar lugar a ele. “Dilma é minha candidata e, se Deus permitir, ela vai ser reeleita”, disse o ex-presidente, segundo o texto.

De acordo com o jornal, Lula disse que é difícil para qualquer político abandonar a ideia de concorrer em eleições. “Não é um trabalho fácil atuar no papel de ex-presidente”, disse o petista. “Política é a minha paixão”, completou ele, segundo o jornal.