HORA E DATA !

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Microsoft apresenta 'joystick' que reproduz mão do jogador em games
Chamado de 'Digits', aparelho é colocado no pulso e mapeia mão do gamer.

Aparelho será usado em jogos, smartphones, PCs, TVs e tablets.

'Digits' é protótipo de controle que captura e reproduz movimentos da mão em ambiente virtual (Foto: Divulgação)

'Digits' é protótipo de controle que captura e reproduz movimentos da mão em ambiente virtual (Foto: Divulgação)

A Microsoft apresentou um projeto de um controle de videogame que, ao ser colocado no pulso do jogador, ele mapeia a mão do gamer, criando uma versão virtual dela e permitindo controlar os games em tempo real usando movimentos. Chamado de "Digits", o aparelho, também pode ser usado para outros aparelhos como um PC ou smartphone (clique aqui para assistir ao vídeo).


De acordo com o líder do projeto, David Kim, da área de pesquisas da Microsoft em Cambridge, o dispositivo não necessita o uso de espaço, como acontece com o sensor de movimentos Kinect, do PC e do Xbox 360. "O usuário pode interagir enquanto caminha do quarto para a sala ou até mesmo nas ruas", disse.Por enquanto, o aparelho é apenas um protótipo e Kim diz que o produto final terá um visual melhor. "Nosso objetivo é reduzir o 'Digits' para o tamanho de um relógio para que possa ser utilizado o tempo todo. Queremos que os usuários interajam espontaneamente com seus aparelhos eletrônicos por meio de gestos simples, sem a necessidade de pegar o smartphone ou tablet na mão".Aparelho cria mão virtual do jogador dentro de programas e games (Foto: Divulgação)
Nos testes criados pela Microsoft, a mão virtual criada pelo dispositivo atendeu a gestos para realizar tarefas dentro de um tipo de game como discar o número de um telefone, visualizar e mudar de fotos no PC e criar uma "pistola" e atirar nos inimigos.
Jogos podem fazer uso do 'Digits' (Foto: Divulgação)
Mega-Sena pode pagar R$ 28 milhões nesta quarta-feira

O concurso 1.432 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 28 milhões nesta quarta-feira (10) em Toledo (PR). O ganhador, caso aplique todo o valor do prêmio em poupança, receberá mais de R$ 130 mil em rendimentos mensais, o que equivale a R$ 4.000 por dia. Se o apostador preferir, poderá comprar 56 imóveis de R$ 500 mil cada, ou 233 carros de luxo.

Foram 278 acertadores da quina, que levaram o prêmio de R$ 10.432,48. Já a quadra teve 17.721 acertadores, que ganharam R$ 233,86 cada.No último sábado (6), ninguém acertou as dezenas do concurso 1.431 e o prêmio acumulou. As dezenas sorteadas foram: 05 - 09 - 13 - 33 - 40 - 54.
As apostas podem ser feitas até as 19h do dia do sorteio. O valor mínimo é de R$ 2.

Bolão

O famoso "bolão" entre amigos para ganhar na loteria deixou de ser informal e virou uma nova modalidade de aposta. Começou a funcionar nesta segunda-feira (1º) o Bolão da Caixa, modalidade em que os apostadores poderão concorrer, em grupo, aos prêmios das loterias, de posse de recibos emitidos pelo próprio sistema de loterias da Caixa Econômica Federal.

Relator inicia voto sobre acusação de lavagem de dinheiro a réus do PT

Seis pessoas respondem nesse item, entre eles três ex-deputados federais.
Antes, STF vai concluir julgamento sobre José Dirceu, Genoino e Delúbio.


Joaquim Barbosa preside sessão do STF (Foto: Carlos Humberto/SCO/STF)
O relator do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, começará nesta quarta-feira (10) a ler o voto sobre seis pessoas ligadas ao Partido dos Trabalhadores acusadas de lavagem de dinheiro, entre eles os ex-deputados federais Paulo Rocha (PT-PA), João Magno (PT-MG) e Professor Luizinho (PT-SP), além do ex-ministro Anderson Adauto, este já absolvido de corrupção ativa (oferecer vantagem indevida).

Antes, o tribunal vai concluir o julgamento sobre 10 acusados de oferecer propina a parlamentares da base aliada em troca de apoio político ao governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Votarão o ministro Celso de Mello, que não compareceu ao julgamento na terça (9) em razão de uma consulta médica em São Paulo, e do presidente do Supremo, Carlos Ayres Britto.

A maioria dos ministros -- seis votos a dois --condenou o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu por um dos crimes de que é acusado, corrupção ativa. Também foram condenados o ex-presidente do PT José Genoino, o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares e o grupo de Marcos Valério.
Com a conclusão do julgamento do item sobre corrupção ativa, o Supremo terá analisado cinco dos oito tópicos da denúncia da Procuradoria Geral da República, restando apenas lavagem de dinheiro por parte do PT, evasão de divisas e formação de quadrilha.
Ao todo, 25 dos 37 réus do processo do mensalão já sofreram condenações na análise de cinco itens: desvio de recursos públicos, gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro, corrupção entre partidos da base e corrupção ativa - veja como cada ministro votou sobre cada réu. As penas para os condenados só serão definidas ao final do julgamento.
José Dirceu (Foto: Márcio Fernandes/Estadão Conteúdo)Até a sessão desta terça (9), foram inocentados cinco réus pelo conjunto dos ministros do Supremo: os ex-ministros Luiz Gushiken e Anderson Adauto, o ex-assessor do extinto PL Antônio Lamas, além da ex-funcionária de Valério Geiza Dias e da ex-diretora do Banco Rural Ayanna Tenório, que ainda serão julgadas por outros crimes.
As acusações
Dos seis réus que serão julgados no item sobre lavagem de dinheiro envolvendo o PT, cinco ainda não tiveram nenhuma conduta analisada pelos ministros. Somente o ex-ministro Anderson Adauto já foi julgado e acabou absolvido do crime de corrupção ativa.
Segundo a denúncia, os ex-deputados e o ex-ministro "empregaram mecanismos fraudulentos para mascarar a origem, natureza e, principalmente, destinatários finais das quantias" - veja aqui o que diz a defesa e a acusação sobre cada réu.
Dentro do processo do mensalão, há recibos supostamente assinados por auxiliares dos políticos. "Nas retiradas em espécie, buscando não deixar qualquer sinal da sua participação, os beneficiários reais apresentavam um terceiro, indicando o seu nome e qualificação para o recebimento dos valores", afirma a Procuradoria.
O então líder do PT na Câmara, deputado Paulo Rocha, segundo a denúncia, recebeu R$ 920 mil, sendo que R$ 600 mil teriam sido recebidos por meio da assessora Anita Leocádia, que sacou recursos em agências do Banco Rural em Brasília e São Paulo. A denúncia diz ainda que Anita recebeu, em um quarto de hotel R$ 200 mil das mãos de Marcos Valério.
O ex-deputado João Magno, segundo a Procuradoria, recebeu R$ 350 mil. Já o ex-deputado Professor Luizinho obteve, "de forma dissimulada, através de interposta pessoa", o valor de R$ 20 mil. Na época, Professor Luizinho era líder do governo na Câmara.
O ex-ministro Anderson Adauto teria recebido R$ 1 milhão do grupo de Valério, sendo auxiliado pelo chefe de gabinete José Luiz Alves. Conforme a denúncia, Alves "agia profissionalmente como intermediário de Anderson Adauto".

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Com 7 vereadores, PDT terá a maior bancada na Câmara de Porto Alegre

Pedro Ruas (PSOL) foi o candidato mais votado no pleito municipal.
Paulinho Motorista (PSB) entrou com o menor número de votos na Cas
a.


Câmara de Porto Alegre (Foto: Arte/G1)
O PDT será o partido com maior número de representantes na Câmara Municipal de Porto Alegre a partir de 2013. Sete candidatos se elegeram para vereador na capital gaúcha. Entre eles está Márcio Bins Ely que fez 13.336 votos e foi um dos que ficaram mais próximos de Pedro Ruas (PSOL), o mais votado da Casa, com 14.610.
Um dos novatos, João Derly (PCdoB) ficou na segunda posição entre os mais lembrados pelos porto-alegrenses. O bicampeão mundial de judô computou 14.038 votos. Ex-atacante do Grêmio nos títulos do Campeonato Brasileiro de 1981 e da Libertadores e do Mundial Interclubes em 1983, Tarciso Flecha Negra (PSD) também foi eleito vereador com 5.231 votos.
No total, foram 600 candidaturas para 36 vagas na Câmara de Porto Alegre.


Confira como fica a composição:
Airto Ferronato (PSB) - 4.103 votos
Alberto Kopittke (PT) - 5.280
Any Ortiz (PPS) - 5.940
Bernardino Vendruscolo (PSD) - 7.386
Cássio Trogildo (PTB) - 9.541
Claudio Janta (PDT) - 10.675
Delegado Cleiton (PDT) - 6.556
Doutor Thiago Duarte (PDT) - 11.935
Doutor Goulart (PTB) - 8.569
Elizandro Sabino (PTB) - 6.741
Engenheiro Comassetto (PT) - 5.426
Fernanda Melchionna (PSOL) - 7.214
Guilherme Socias Villela (PP) - 13.574
Idenir Cecchim (PMDB) - 7.556
João Bosco Vaz (PDT) - 9.493
João Carlos Nedel (PP) - 7.582
João Derly (PC do B) - 14.038
José Freitas (PRB) - 6.617
Jussara Cony (PC do B) - 5.686
Kevin Krieger (PP) - 11.444
Lourdes Sprenger (PMDB) - 4.402
Luciano Marcantônio (PDT) - 7.725
Marcelo Sgarbossa (PT) - 5.723
Márcio Bins Ely (PDT) - 13.336
Mário Manfro (PSDB) - 3.732
Mauro Pinheiro (PT) - 5.984
Mauro Zacher (PDT) - 11.244
Paulinho Motorista (PSB) - 3.311
Paulo Brum (PTB) - 5.575
Pedro Ruas (PSOL) - 14.610
Professor Garcia (PMDB) - 5.138
Pujol (DEM) - 4.165
Sofia Cavedon (PT) - 7.085
Tarciso Flecha Negra (PSD) - 5.231
Valter Nagelstein (PMDB) - 8.940
Waldir Canal (PRB) - 8.211