HORA E DATA !

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013


Bancada apresentou 165 projetos
O balanço das atividades parlamentares em 2012 aponta que a bancada do Rio Grande do Sul fez mais de 1,3 mil discursos e apresentou 165 projetos. O campeão de propostas foi Giovani Cherini (PDT) com 26.
Os gaúchos compareceram em 80,12% das sessões. O mais assíduo foi Ronaldo Nogueira (PTB), que não esteve em apenas três das 91 sessões do ano. A lista dos ausentes tem dois líderes. Em números absolutos.
José Otávio Germano (PP) teve 38 faltas, todas justificadas, nas 91 sessões (41,8% de ausências). Segundo sua assessoria, mais da metade delas foi motivada por tratamento de saúde. 
Manuela D'Ávila(PC do B), que se licenciou para concorrer à prefeitura de Porto Alegre, faltou 31 (30 justificadas) das 70 sessões que poderia ter participado (44,3% de ausência). Segundo a deputada, "a maior parte das faltas ocorreu por causa de atendimento a obrigações partidárias ou licença médica."
Curiosidades
CONSULTORIAS
As despesas da bancada em consultorias chegaram a R$ 800,4 mil. O líder de gastos foi Onyx Lorenzoni (DEM), que aplicou R$ 113 mil no serviço. Em segundo lugar neste ranking está Alexandre Roso (PSB), que gastou R$ 65 mil. Onyx explica que é auxiliado por três consultorias: uma para matérias tributárias, uma para projetos em educação e outra na estratégia de divulgação do mandato.
– É um gasto dentro da cota e essencial para o exercício das minhas atividades - diz.
COMBUSTÍVEIS
Sérgio Moraes (PTB) liderou as despesas com combustíveis. O deputado gastou R$ 54 mil, apresentados em notas mensais de R$ 4,5 mil do mesmo posto de Santa Cruz do Sul, sua base eleitoral. Sobre a escolha do posto, argumenta que a empresa oferece descontos e lhe dá 30 dias para o pagamento, mesmo prazo que a Câmara adota para o reembolso. Em relação ao valor das notas, Moraes
explica que este é o teto pago pela Casa, mas que na verdade seus gastos com combustíveis são sempre mais altos:
– Pago do próprio bolso a diferença, já que visito 150 municípios periodicamente.
DIVULGAÇÃO DO MANDATO
O parlamentar que mais gastou na divulgação do mandato foi Enio Bacci (PDT): R$ 156,6 mil. O deputado investe o recurso na confecção de um boletim mensal, impresso e distribuído em suas bases eleitorais, que destaca suas ações do ano, como o trabalho na Comissão de Segurança Pública. Bacci diz que optou por fechar seus escritórios em Porto Alegre e Lajeado para redirecionar recursos:
– Economizei R$ 80 mil ao fechar os escritórios, sendo que com o boletim atinjo um maior número de eleitores.
PROJETOS
Quatro deputados não apresentaram projetos em 2012: Marco Maia (PT), Paulo Ferreira (PT), Sérgio Moraes (PTB) e Luiz Noé (PSB), que deixou a Câmara com o retorno de Beto Albuquerque. Como presidente, Maia é impedido pelo regimento de apresentar projetos. Ferreira informa que suas propostas aguardam análise de técnicos e devem ser protocoladas neste ano. Já Moraes se dedicou à tramitação de projetos antigos:
– Não adianta subir na tribuna toda hora. Meus projetos são voltados ao setor do tabaco e estão tramitando. Quem tenta fazer tudo acaba não fazendo nada.