HORA E DATA !

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Pé para Traz ?

Dilma receberá representantes evangélicos, diz ministro
Gilberto Carvalho está intermediando o contato entre a presidente e os líderes de movimentos sociais.


Na próxima semana a presidente Dilma Rousseff estará se reunindo com lideranças evangélicas. A data ainda não foi marcada e nem os nomes dos pastores convidados foram revelados, mas a medida foi tomada para tentar impedir a perda de apoio político.
A presidente foi muito criticada por religiosos por ter se reunido com movimentos sociais que lideraram os protestos em todo o Brasil e não ter se encontrado com os evangélicos que fizeram uma manifestação pacífica em Brasília.
Entre os líderes religiosos que reclamaram da falta de diálogo entre o governo e as igrejas está o deputado Marco Feliciano (PSC-SP) que pelo Twitter mostrou muita insatisfação. “Não há explicação para o desprezo e a desconsideração da Presidenta Dilma com o segmento evangélico. Parece que somos marionetes”, escreveu.
pastor Silas Malafaia também criticou a presidente que se reuniu até com as líderes da “Marcha das Vadias” e não teve o interesse em ouvir os evangélicos. “Povo evangélico, acorda! Dilma se encontra com representantes da Igreja Católica, LGBT, vadias e etc. E nós? Nada! Depois vai querer nosso voto em 2014″.
O responsável por essa ligação entre a presidente e os movimentos sociais é o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência, que acredita que essas reuniões sejam importantes para debater o que ele chama de “momento nacional”.


Nesses encontros a presidente mostra as estratégias do governo para resolver as reivindicações dos manifestantes. Apresentando respostas e fazendo promessas como investir mais em educação e saúde. Com informações Folha de SP.

Nos Tribunais !?

Rescisão de Luxemburgo com o Grêmio poderá parar na Justiça
Advogados do clube irão propor ao representante do técnico um abatimento sobre a multa rescisória


  FOTO:          Grêmio pedirá redução da multa rescisória de Luxemburgo.


Aguardada para a próxima semana, a rescisão de contrato de Vanderlei Luxemburgo poderá ser o ponto de partida para uma batalha judicial entre o treinador e o Grêmio.
A direção já tem sua posição definida. Seus advogados irão propor ao representante do técnico um abatimento sobre a multa rescisória. Luxemburgo recebia salário mensal deR$ 601 mil.
Como a lei prevê o pagamento de metade do total a que o ele teria direito até dezembro de 2014, a multa será de R$ 5,4 milhões. O Grêmio tentará reduzir esse valor e fazer a quitação de forma parcelada.
Luxemburgo não estaria disposto a aceitar abatimento. Muito menos parcelamento. Em entrevista a Zero Hora, o treinador assegura que não forçou a demissão para embolsar o valor estipulado pela multa. Mas deixou um recado:
- A multa foi colocada antes, foi discutida antes, foi posta no contrato e foi aceita, e contrato assinado tem de ser cumprido. Isso é normal em qualquer relação de trabalho. Você tem um contrato de trabalho e espera que ele seja cumprido pela empresa.
Dois advogados consultados por Zero Hora observam que sempre se chega a um acordo extrajudicial entre as duas partes. Tudo para evitar que o caso vá parar na justiça, onde decisões em primeira instância costumam levar pelo menos seis meses. Com os recursos, os casos nãoa transitam em julgado antes de um ano.
Ex-treinador do Inter, o uruguaio Jorge Fossati aceitou receber em parcelas valores devidos pelo clube. Como houve atraso, recorreu à Justiça do Trabalho.
-  O Grêmio não pagará a multa integral. Luxemburgo está enraivecido e certamente não aceitará redução. Acho que o caso vai parar na justiça - teme um dirigente.
Fonte: ( ZH ESPORTES )

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Feliciano

Em meio a protestos, Pastor Marco Feliciano vê sua popularidade crescer

Partidos estão de olho em Feliciano e cogitam lançá-lo como Senador nas próximas eleições.




Marcos Feliciano popularidade
Desde sua eleição para Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, o deputado Marco Feliciano passou a ser visto como um antagonista dos direitos da comunidade LGBT, que se intitulam uma “minoria”. Feliciano se transformou num alvo de centenas de manifestações populares em todo o Brasil. O movimento contrário ao seu nome cresceu ainda mais quando a mídia o colocou como o responsável pelo projeto da chamada “cura gay”, o que ele nega.
Para Feliciano, esses protestos contra o seu nome não são a vontade do povo brasileiro, mas somente de um grupo pequeno, uma minoria do movimento gay. Durante uma entrevista recente, o deputado disse que “ninguém quer uma guerra santa” contra ele.
O deputado ressaltou que esta acompanhado os movimentos de reivindicação nas ruas do país e que o movimento evangélico esteve entre “os primeiros a protestar contra a PEC 37” e a corrupção.
Ele lembra um evento coordenado pelo pastor Silas Malafaia em Brasília que reuniu cerca de 70 mil pessoas. Enfatizou ainda a força dos evangélicos “Somos 50 milhões. Então, vamos deixar quietinho né? A inteligência do povo não é dúbia. O povo não quer ser usado como massa de manobra”.
Feliciano sabe que tem se tornado alvo de críticas e de piadas nas redes sociais, porém encara isso de forma bem-humorada: “Imagina se eu fosse gay e todo mundo falando essas coisas de mim, isso não é perseguição? Isso não é homofobia? Não é do que eles me acusam? Então como alguém quer respeito e não respeita as pessoas? Então, todo mundo vê que isso é uma ‘festa’. Para mim tá tudo tranquilo, tá tudo em paz. Se é tão bonito ser (gay) porque eles me atacam com isso?”, questiona o pastor.
Marco Feliciano tem crescido tanto em popularidade que partidos como o PR e o DEM, além do PSC, estão cogitando lançar seu nome como candidato a senador por São Paulo nas eleições do ano que vem.
fonte: (GPS Gospel)

segunda-feira, 1 de julho de 2013

O RETORNO!

O Retorno ! Renato Gaúcho é o novo  Técnico do Grêmio

Portaluppi retorna ao clube gaúcho substituindo o então demitido Luxemburgo



Muitos dizem que Luxa forçou a sua saída para ganhar a "Grana" indenizatória do clube. Mas a notícia do momento é que "O bom filho a casa torna". Se a intenção era buscar alguém identificado com o Grêmio para assumir a vaga de Vanderlei Luxemburgo, a diretoria gremista fez valer o desejo do torcedor. Nesta segunda-feira, a confirmação do que já se era esperado: Renato Gaúcho retorna ao Grêmio para assumir a casamata tricolor durante o restante de 2013.


A contratação foi anunciada através do site oficial do clube gaúcho. Uma reunião realizada nesta segunda-feira, no Rio de Janeiro, concretizou o retorno do treinador, eterno ídolo da torcida e com boa relação com o presidente do clube, Fábio Koff.

Como jogador, Renato Portaluppi, como é chamado no Sul, é um dos maiores ídolos do clube, tendo acumulado títulos como a Libertadores e o Mundial de 1983 - exatamente no primeiro mandato de Fábio Koff.

Como técnico, Renato teve passagem pelo clube em 2010, assumindo o clube na zona de rebaixamento e o levando para a disputa da Libertadores do ano seguinte. Foi demitido com um histórico de 66 jogos e 34 vitórias. Seu último trabalho como técnico foi no Atlético/PR, onde durou dois meses onde pediu para sair.