HORA E DATA !

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

#Malafaia #Solta #oVerbo

Ativismo GAY tem interesses Financeiros, diz Silas Malafaia
O líder religioso não aceita ser chamado de homofóbico, pois a homofobia é uma doença que desperta o desejo de agredir e matar homossexuais

Ativismo gay tem interesses financeiros, diz Silas MalafaiaO pastor Silas Malafaia concedeu uma entrevista ao jornal “O Povo”, de Fortaleza (CE), onde esteve na semana passada durante a Escola de Líderes Associação Vitória em Cristo (Eslavec) que aconteceu entre os dias 5 e 9 de novembro.
Entre os assuntos abordados na reportagem, o líder religioso falou sobre a polêmica que envolve seu nome e movimentos homossexuais que o acusam de homofobia.
Malafaia rejeita o título e diz que não pode ser considerado homofóbico, pois a “homofobia é uma doença classificada na psiquiatria em que objetivo é matar, destruir, o homossexual” coisas que ele não deseja.
O motivo da discussão entre o pastor evangélico e os ativistas seriam motivos financeiros. “Aqui tem um interesse de grana, mamam grana dos governos federal, estaduais e municipais, de empresas estatais”, disse ele separando os homossexuais dos ativistas que fazem “sindicalismo gay”.
“A gente discute tanto liberdade de expressão e como é que podem rotular uma pessoa de homofóbica, na maior cara de pau, porque eu expresso uma opinião contra uma prática?”, questiona.
O pastor presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) volta a reafirmar que o homossexualismo não é condição, mas um comportamento. “Não existe uma prova de que alguém nasça homossexual”, afirmou.
Na entrevista o pastor também falou sobre política, dizendo que se manifesta não por ser evangélico, mas por ser cidadão. Também disse que seu chamado é influenciar as pessoas e não se candidatar a um cargo político.
“Não fui chamado para ser deputado, acho isso um absurdo, sou um pastor. Agora, como pastor sou cidadão”, disse.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

#SuperTufão #Filipinas #Mais #Forte #de #Todos #os #Tempos

Supertufão nas Filipinas pode ter sido o mais forte a atingir terra

Ciclone que contabiliza 10 mil mortos nas Filipinas tem maior velocidade de vento registrada na história
Ciclone já matou mais de 10 mil pessoas e tem maior velocidade de vento registrada na história
O supertufão Haiyan – batizado de Yolanda nas Filipinas – pode ser considerado o quarto ciclone tropical mais intenso já registrado e o mais forte a atingir terra. Os cientistas ainda precisam fazer medições em solo para confirmar a informação, mas já se pode dizer que é uma das mais poderosas tempestades tropicais já vistas. Nas Filipinas, autoridades estimam mais de 10 mil mortos e 4.5 milhões de afetados. O Tufão deve atingir o Vietnã ainda nesta segunda-feira (11).
Com os ventos mais fortes relatados na história, que chegaram a 380km/h, a tempestade começou no dia 2 de novembro e rapidamente se intensificou. No dia 6, tinha um olho de mais de 9 quilômetros de largura.
O recorde de mais intenso ciclone tropical é do Supertufão Tip, que atingiu a costa sul do Japão em outubro de 1979. Com ventos que chegaram a 305km/h e pressão atmosférica mínima de 870 mbar, ele matou 99 pessoas.
Fenômeno devastador
Se o Haiyan já é considerado por alguns como o pior tufão registrado de forma confiável, isso se deve a uma série de condições que, quando reunidas, levam a fenômenos meteorológicos cujas consequências quase sempre são trágicas. Especialistas apontam que a primeira delas foi a origem de Haiyan em mar aberto, sem qualquer massa de terra que o impedisse de ganhar a forma circular e acumular calor.
As altas temperaturas do oceano na região, podendo chegar a 30° C até mesmo a dezenas de metros de profundidade, são o ingrediente seguinte, já que um tufão só ganha força se tiver calor. Por fim, a ausência de ventos em velocidade ou direção diferentes dos de Haiyan — e que poderiam abalá-lo — permitiram que ganhasse a força avassaladora com que tocou a terra.
As sete mil ilhas que formam as Filipinas e nas quais vivem 92 milhões de pessoas ficam justamente em uma região da Terra que, com frequência, reúne todas essas condições. Quase um terço das tempestades tropicais do mundo se formam no Pacífico ocidental e muitos seguem para o oeste das Filipinas, a primeiro grande massa de terra que encontram.
O arquipélago enfrenta, em média, oito ciclones tropicais a cada ano. Até agora, seis foram registrados em 2013. O Haiyan é o terceiro tufão de categoria 5 a atingir as Filipinas desde 2010.
Atual situação
As autoridades filipinas declararam nesta segunda-feira o estado de emergência na cidade de Tacloban na ilha de Leyte, a cerca de 580 quilômetros de Manila, onde segundo cálculos do governo provincial podem ter morrido cerca de 10 mil pessoas.
O toque de recolher foi imposto na região para todos os residentes com o objetivo de refrear os saques e a proliferação de outros crimes depois que a cidade, capital provincial, ficasse ‘fora da lei’ após a passagem do tufão.
Veículos de imprensa locais reportaram os contínuos saques que bandos de sobreviventes fazem de maneira organizada com todos os produtos úteis que encontram em supermercados, de comida e água potável a lavadoras e televisões, e multidões desesperadas que atacaram um comboio da Cruz Vermelha com carga de ajuda humanitária.
O porta-voz de Defesa Civil, Reynaldo Balido, declarou que o restabelecimento da ordem em Tacloban e em outras áreas é uma das “maiores prioridades”.
Fonte: O Globo e Verdade Gospel.